Nosso segundo encontro de discussão acontecerá em 18/4 e o tema do texto é a doutrina da graça comum.

Embora a linguagem da leitura seja possivelmente mais familiar do que os conceitos utilizados por Dooyeweerd no texto anterior, o leitor deve estar atento ao caráter controverso da noção de graça comum, mesmo no interior da tradição reformada. Nos Estados Unidos, em 1924, polêmicas em torno do assunto levaram à divisão da Igreja Cristã Reformada (CRC, na sigla em inglês) e ao surgimento das Igrejas Protestantes Reformadas na América (PRCA).

No nosso encontro de discussão, é possível que os aspectos controvertidos da doutrina da graça comum sejam trazidos à tona. Os participantes interessados em aprofundar-se no tema podem, então, ler os seguintes textos adicionais em defesa da ideia de graça comum:

  • BERKHOF, Louis. Graça comum. In: ______. Teologia sistemática. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 2001, p. 399-412. Disponível aqui.
  • GOMES, Arley Preto. A ação graciosa de Deus sobre a vida dos não-eleitos como efeito colaterial da obra redentora de Cristo. Fides Reformata, XII, nº 2, p. 9-25, jul./dez. 2007. Disponível em: Mackenzie.br. Acesso em: 10 abr. 2016.
  • GREGGERSEN, Gabriele. A poética da graça comum. Fides Reformata, VI, nº 1, jan./jun. 2001. Disponível em: Mackenzie.br. Acesso em: 10 abr. 2016.
  • GRUDEM, Wayne. A graça comum. In: ______. Teologia sistemática. São Paulo: Editora Vida, p. 297-304. Disponível em: Monergismo.net.br. Acesso em: 10 abr. 2016.

Algumas críticas podem ser lidas neste material:

Estimulamos todos os participantes a examinarem o material com discernimento e a participarem do encontro de debates com espírito humilde e pacífico. Boa leitura!